1º Dia – Lisboa / Bissau
Formalidades de embarque e início da viagem com destino a Bissau.
Chegada a Bissau e formalidades aduaneiras. Assistência pelo nosso representante local e transfer para o hotel. Estadia em regime de pequeno-almoço.

2º Dia – Bissau / Bafatá (150 Km)
Visita da cidade de Bafatá, onde vai poder ver a arquitetura colonial, visitar a casa de Amílcar Cabral e falar com anciões para saber a história da guerra colonial nesta zona e sobre outros acontecimentos neste mesmo período.
Visita ao quartel colonial (iremos solicitar ao Ministério da Defesa e em colaboração com as associações dos antigos combatentes, autorização para visitar o quartel com um ex-militar ou combatentes que lutaram nesta zona).
Estadia em Bafatá.

3º Dia – Bafatá / Gabu (53 Km)
Tour da cidade de Gabu. Esta é, atualmente, um grande centro de comércio. As principais ruas da cidade estão repletas de bancas onde se vendem frutas, legumes, carvão, peixe, artesanato. É bem visível a influência muçulmana na cidade onde se podem encontrar pequenas mesquitas. Casas baixas, algumas de arquitetura colonial e uma pequena capela lembram vagamente a influência cristã e colonial portuguesa na região.
Visita ao Régulo da aldeia (informação sobre a História da expansão do Império do Mali, Guerra colonial).
Estadia em Gabu.

4º Dia – Gabu / Pitche / Canquelefa (80 Km)
De madrugada, saída para Canquelefa, via Pitche.
Esta zona, foi, durante muito tempo e em diferentes épocas campo de batalha dos exércitos que invadiram o território da atual Guiné-Bissau e ponto de passagem entre o Senegal e o reino de Futa-Djalon.
O acesso à localidade de Canquelefa é má (estrada de terra batida). O antigo quartel ou o celeiro de mancarra (os famosos celeiros de Albano Costa) está situado logo à entrada, onde são visíveis alguns sinais, símbolos da passagem da tropa metropolitana. No lado direito do primeiro memorial estão gravados os nomes de mais de 5 companhias/batalhões, sendo difícil,  para um leigo, senão mesmo impossível, distinguir quem fundou o memorial.
Regresso a Gabu onde vai passar a noite.

5º Dia – Gabu / Quebo (Aldeia Formosa) (250 Km – 5 horas)
Saída para Quebo. Visita da aldeia formosa e à ponte do Saltinho. Usada até 1955, esta ponte serve agora essencialmente às lavadeiras que todo o ano ali se encontram a lavar a roupa e a secá-las nas rochas o que produz um feito visual convidativo a fotografias que resultam num mosaico de cores digno de registo. Atravesse a ponte a pé para apreciar os sons da água, a algazarra das mulheres enquanto lavam a roupa e das crianças que pescam à linha. Numa das margens fica um antigo quartel português transformado numa pousada e onde vai passar a noite.

6º Dia – Quebo (Aldeia Formosa) / Bissau (203 Km) / Lisboa
Transfer para Bissau onde vai fazer um tour da cidade. Visita à Praça Che Guevara, Mercado Central de Bissau, Porto Pindjiguite, (Estatua Mão de Ferro), Bissau Velho (arquitetura Colonial Portuguesa) Porto Comercial, arredores do Quartel de Amura (proibido tirar fotografias); Praça dos Heróis Nacionais, Igreja Catedral de Bissau, Correios, Mercado de Bamdim, Centro Artistíco Juvenil, Museu Nacional Etnográfico.
Almoço no Restaurante a Padeira.
Em hora a determinar localmente e de acordo com o horário do voo, transfer para o aeroporto, formalidades de embarque e início da viagem de regresso a Lisboa.

Saídas de Lisboa às 6feiras

 

 

HOTEIS

Bissau: Hotel Azalai

Bafatá: Hotel Triton

Gabu: Hotel Vifer

Quebo: Hotel Pousada de Saltinho